Placas Interoclusais

Quais as indicações das placas interoclusais flexíveis e das placas rígidas?

A utilização de placas interoclusais de material flexível está indicada apenas nos casos em que o paciente pratique alguma atividade em que haja risco de trauma mecânico que poderia causar fratura dos elementos dentários. A prática de esportes de maneira geral requer a utilização desses protetores interoclusais flexíveis. Nesse caso, o dispositivo deverá recobrir todo o elemento dentário para proteger inclusive o tecido mole dos lábios, bochechas e língua, caso sejam comprimidos contra os dentes.

Entretanto, para tratamento dos distúrbios articulares e musculares que envolvem o sistema mastigatório, é necessária a utilização de placas interoclusais rígidas.

As características mais importantes dos materiais que se utilizam na confecção de placas interoclusais miorrelaxantes são a resistência e a mutabilidade.

A resistência é importante para manter a estabilidade dos contatos oclusais conseguidos inicialmente durante a confecção da placa em laboratório de prótese.

A mutabilidade permite, depois da acrilização, ajustes por remoção ou acréscimo de material, a fim de devolver estabilidade mandibular após prováveis alterações do posicionamento condilar. O paciente necessita de um apoio interdental rígido para que ele possa deglutir confortavelmente e guiar os movimentos mandibulares.

A placa deve funcionar como se fosse seus próprios dentes, caso estivessem posicionados adequadamente. Enfim, o tratamento com placa interoclusal visa criar, de uma forma artificial, os requisitos de oclusão ideal para o paciente que, por uma razão ou outra, não os atinge com seus dentes na posição que estão. Essa devolução da oclusão ideal promove um descanso da musculatura e alivia trações e compressões sobre os tecidos articulares, possibilitando a melhora do caso e indicando a posição ortopédica estável dos côndilos. Essa posição é aceita hoje como a de início de tratamento dos procedimentos restauradores e ortodônticos e é conhecida no vocabulário protético há muito tempo como sendo a posição de RC (relação central dos côndilos mandibulares com a fossa mandibular do osso temporal).

Concluindo, pode-se dizer que as placas flexíveis têm como utilização básica a proteção do sistema mastigatório durante atividades que poderiam traumatizar os seus elementos; porém, para tratamento das disfunções temporomandibulares, deve-se utilizar placas rígidas.

Outras Perguntas